Imagem

Imagem

História do Jeff the Killer Original

Esta é uma das Creepypastas mais conhecidas, que inclusive já rendeu continuações; Leia agora a história do Jeff the killer abaixo.

''Jeff – O Assassino
Trecho de um jornal local : 
TERRÍVEL ASSASSINO EM SÉRIE DESCONHECIDO AINDA ESTÁ A SOLTA.
Depois de semanas de assassinatos inexplicáveis, o assassino sinistro, ainda desconhecido, está com paradeiro desconhecido. Depois de poucas evidências encontradas, um jovem garoto diz ter sobrevivido a um dos ataques, e corajosamente contou sua história.
“Eu tive um pesadelo e acordei no meio da noite. Vi que por algum motivo, a janela estava aberta, mesmo que lembre de ter fechado antes de ir para a cama. Levantei-me e fechei-a mais uma vez. Depois disso, simplesmente rastejei pra debaixo de minhas cobertas e tentei voltar a dormir. Foi quando tive uma sensação estranha, como se alguém estivesse me observando. Olhei para cima, e quase pulei para fora da cama. Lá, em um pequeno raio de luz, iluminando entre as minhas cortinas, tinham um par de olhos. Não eram olhos normais. Eles eram escuros, ameaçadores e de um preto profundo e … simplesmente…planando lá, me aterrorizando. Foi quando vi a boca. Um sorriso, muito horrendo que fez todos os pelos do meu corpo ficarem em pé. A figura estava ali, me observando. Finalmente, depois do que pareceu uma eternidade, ele disse uma frase simples, mas disse de uma forma que só um homem fora de si falaria.

Não seja desprezível

Resultado de imagem para gótico

Todo mundo diz "Seja você mesmo" quando na verdade isso não funciona na prática. Você pode deixar de conseguir um emprego por ser um ateu, pode quem sabe tirar zero em uma redação por apoiar o aborto.
Ou quem sabe, receber diversas expressões estranhas por dizer que mataria seu filho quando nascesse. Tudo bem, a ideia de matar um bebê não é bem aceita pela sociedade.

Mas o que realmente quero dizer é: Não seja uma pessoa desprezível.

Já percebeu o quanto as pessoas são tão iguais as outras?

É inexplicável o que estou sentindo em relação a humanidade ultimamente. Claro que não posso descrever com palavras, pois definitivamente não posso ser eu mesma.

É impressionante como criei o Diário Homicida aos 15, e hoje aos 19 não sou muito diferente. Evolui e muito, mas sinceramente continuo sendo alguém que não se socializa.

Por que estou escrevendo isto?
De certo modo, o blog é um Diário, então resolvi compartilhar um pouco os meus pensamentos.


~~Angel

Monstros


SEDE POR SANGUE 

Enquanto a maioria das pessoas tremem ao se depararem com algo "fora do comum" existem alguns seres na terra que se divertem com toda essa bizarrice. Essas pessoas são todas diferentes do que você já viu.  Na verdade, elas andam por aí, disfarçadas, não com um capuz escondendo o rosto, como se faz um ladrão, mas com uma cara limpa que esconde todo o seu interior na abertura de um sorriso. 

 Todas essas pessoas que são caracterizadas como pessoas comuns, simplesmente são mais um na sociedade, ou você faz algo surpreendentemente bom e é lembrado pela humanidade, ou você faz algo muito ruim, e é lembrado também. Melhor ser amado ou odiado? Eu não tenho certeza. 

Você tem sede por sangue?
Você já sentiu a vontade de golpear alguém no pescoço, extrair o sangue e dá para sua filha beber? 
Ou você se encaixa no perfil das pessoas que preferem se vingar de quem merecer? 
Derramaria o sangue de um inocente? Pois muita gente faria isso, apenas pelo puro prazer de derramar um sangue. Não há algo mais insano, e satisfatório que poder decidi a vida ou a morte de alguém. 
Imagine agora: 
Você amarra sua vítima, a uma árvore em uma floresta sombria, o único que resta é a sua faca, que vai rasgando lentamente a pele, provocando reações pavorosas a quem a sente. Enquanto ela agoniza, você sente todo o prazer que aquele corpo recuador, lhe propôs sentir. Você tem agora em suas mãos, a decisão dos minutos seguintes de sua vítima.
A partir de agora você é o deus da vida dela, e deverá decidir em frações de segundos qual será o próximo golpe.

Se não consegue ler isso sem sentir algo ruim, então saia já daqui. 

Você tem um mostro interior?
Se você sente medo quando fica de frente com um cadáver, então você é uma pessoa fraca. Mas se você não sente, então isso pode ser chamado de normal. Mas quando você se sente feliz com a morte de alguém,então há algo errado. 
Então talvez, você seja como os seres que se escondem. 



~~Angel

Grupo Homicidas Anônimos


É a segunda vez que posto sobre isso aqui, porque provavelmente nem todo mundo leu anteriormente. Temos um grupo no wathsapp sobre homícidios, etc...Apenas chame no número para que possa entrar: 73981129128 , ou 4888159712 ;






~~Angel

O estranho suicídio de Isadora Dunkan



O estranho suicídio de Isadora Dunkan


 Pois bem, eu estava procurando mesmo sobre suicídios estranhos, e me deparei com o suícidio de Isadora Dunkan. Isadora Dunkan, era francesa e apaixonada pela dança. Já adolescente lecionava em uma escola de música de sua mãe. Sua dança era diferente e improvisada, ela dançava descalça ao contrário das outras meninas de sua época, além de que, Dunkan nunca havia treinado balé clássico. Sua dança era coleografrada, Dunkan procurava uma dança livre e expressiva se inspirando nos fenômenos da natureza.
 Já cedo, foi para europa na tentativa de ser bailarina, já passou por dois acidentes de carros em que saiu gravemente ferida.
 Teve dois filhos que por fim, morreram afogados em um acidente onde o automóvel havia caído de uma ponte, após ter quebrado o mesmo. 

  O suicídio 
 Em seu pescoço longo, Isadora Dunkan usava um cachecol, que acabou roçando e ficando preso na calota do pneu do carro resultando em seu pescoço quebrado, foi jogada no chão (graças ao cachecol emprensado) tendo uma morte instantânea.


 Aqui você poderá assistir um video da dançarina Isadora Dunkan.



~~Angel

Possível suicidio

 Eu tentei! Eu juro. Mas não consigo continuar, posso está sendo fraca e talvez até mesmo covarde, mas já tem anos que sonho com a minha morte, não preciso está triste para querer morrer, apenas preciso está respirando. Sentimentos são ruins, eles me sufocavam e meu coração se preenche de uma  dor tão enorme que não parece caber tudo dentro de mim.  Chega de dor! Desculpem.

O rio e a superfície

O Rio e a Superfície 



 Ela jogou a pedra no rio, na esperança de vê-la voltar para a superfície, mas a pedra escolheu não retornar, preferiu ficar e vivenciar o intemperismo químico. Porém, certo dia a pedra voltou, pois havia percebido que vivenciar o intemperismo químico pelo rio, não valia a pena ou pelo menos, era nisso que ela preferia acreditar. 
Para ela, a pedra voltou para a superfície e ja não queria mais estar com o rio. Mas por trás das esperanças dela, existia uma verdade cruel. A pedra, nunca esteve na superfície.
Ari Aokigahara